A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE Salvador) é uma Organização Social filantrópica, sem fins lucrativos, que tem a finalidade de prestar assistência integral às pessoas com deficiência intelectual.

Para manter a sua atividade fim, a instituição oferece diversos serviços à comunidade que propiciam a sua viabilidade econômica. Os recursos arrecadados com os serviços são revertidos para o atendimento a pessoa deficiente carente.

APAE Salvador

Na sua estrutura a Apae mantém o Centro Educacional e o Centro de Formação e Acompanhamento Profissional, o Centro Médico, o Laboratório de Análises Clínicas, o Serviço de Referência em Triagem Neonatal e a Central de Doações, além dos programas especiais: Grupo Pais Apoio e o Programa do Voluntariado.

Em 3 de outubro de 1968, um grupo de pais, preocupados com o atendimento as crianças com deficiência intelectual, decidiu juntar-se e formar uma associação. Tendo à frente o engenheiro Genes de Almeida Barbosa, esse grupo fundou a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, a Apae Salvador. Com sede provisória funcionando no antigo Instituto Pedagógico da Bahia, na Praça Almeida Couto, a Apae contou com a valiosa colaboração do médico Luiz Fernando Pinto, que também integrava a primeira diretoria.

Somente em maio de 1970, a Apae Salvador conseguiu alugar a sua primeira sede, um imóvel localizado na Rua Visconde de Caravelas, 168, Itapagipe. Naquela época, pouco se podia fazer, já que a Instituição estava dando apenas os seus primeiros passos. Em outubro do ano seguinte, a Apae iniciou seus trabalhos na área pedagógica. Com o auxílio da assistente social Maria Joaquina Neves e da professora Gildália Passos, 20 alunos começaram a receber orientação especializada.

A partir daí, a Apae desenvolveu-se e agigantou-se, sem perder de vista a sua proposta de despertar na consciência da comunidade a importância do atendimento ao deficiente. Em 1978, apesar da falta de recursos, com a ajuda da Secretaria do Trabalho foi inaugurado o primeiro centro de profissionalização. Dirigido a adolescentes, o centro começou a funcionar na Rua Lélis Piedade, 58, com trabalhos voltados para a área de marcenaria.

Nesta longa caminhada, a Apae contou com valiosas colaborações como a do Lions e do Rotary, que promoveram festivais, desfiles, chás e feiras para arrecadar recursos para a ampliação do atendimento. Na década de 80, a instituição viveu momentos de grandes transformações. Com a ajuda do General Gustavo Rego Reis, então comandante da 6ª Região Militar, um dos padrinhos mais dedicados que a Apae já conheceu, em um trabalho conjunto com o governador Antonio Carlos Magalhães, conseguiu a doação de uma casa, na avenida Jequitaia, para a instalação da sede da Associação, que passou a atender, nesse período, 90 crianças.

Em janeiro de 87, já de posse de um terreno doado pelo ex-prefeito Fernando Wilson Magalhães, a Apae iniciou a construção da sua nova sede na Pituba. Formou-se, então, um grande mutirão, do qual participaram órgãos públicos, empresas e a comunidade, para que, em 20 de outubro de 1989, a nova sede fosse inaugurada.

Com duas unidades, a Apae pode dividir melhor suas atividades. Nas instalações da Pituba, foram colocados o Centro Educacional Especializado (Ceduc), para alunos de 2 a 16 anos, a Administração, o Laboratório de Análises Clínicas (Labac) e o Centro Médico (Cemed). O prédio da Jequitaia passou a funcionar como o Centro de Formação e Acompanhamento Profissional (Cefap), destinado aos aprendizes a partir dos 16 anos.





A Apae Salvador presta serviço de educação e saúde à mais de mil alunos e aprendizes do Ceduc e do Cefap diretamente, além de oferecer refeições, materiais escolares e uniformes. As famílias são igualmente atendidas em todos os programas da Instituição. Nessas quatro décadas, a Apae Salvador vem contribuindo decisivamente para a inclusão das pessoas com deficiência intelectual na sociedade, fomentando debates para a consolidação dos seus direitos, e atuando na prevenção e tratamento de doenças que podem levar à deficiência intelectual.

O objetivo da Instituição continua sendo o mesmo: atender a pessoa com deficiência intelectual com serviços de qualidade e o firme propósito de torná-lo cidadão.

A atual estrutura organizacional da Apae Salvador possui sete Gerências, lideradas por uma Superintendente Executiva que se reporta à Diretoria Executiva. Os recursos financeiros que permitem a execução das atividades da Instituição são provenientes dos atendimentos na área de saúde, por intermédio do SUS, particular e convênios, além de doações da sociedade civil, realização de cursos, subvenções e convênios com instituições do poder público.

APAE Salvador Resultado de Exame

Você pode retirar na APAE o resultado do Teste do Pezinho.

A APAE Salvador realiza o Teste do Pezinho desde 1992. Em função da sua experiência e expertise nesta área de Triagem Neonatal, foi credenciada pelo Ministério da Saúde, via portaria Ministerial nº 822 de 06 de junho de 2001 como Serviço de Referência em Triagem Neonatal do Estado da Bahia.

O Teste do Pezinho é um exame rápido em que gotinhas de sangue do calcanhar do bebê são coletadas e tem a finalidade de diagnosticar e impedir o desenvolvimento de doenças genéticas ou metabólicas que podem levar à Deficiência Intelectual ou causar prejuízos à qualidade de vida.

Com este exame, é possível diagnosticar até 50 doenças. Muitas delas não apresentam sintomas ao nascimento e podem aparecer mesmo sem casos na família.

Para que a prevenção seja possível, a coleta deve ser efetuada entre o 3º e 5º dia de vida do bebê.

Horário de Funcionamento APAE Salvador

  • Segunda a sexta das 6h30 às 11h

Onde Fica, Endereço e Telefone APAE Salvador

  • Rua Rio Grande do Sul, 545 – Pituba – Salvador – BA
  • Telefone: (71) 3270-8300

Outras informações e site

Mapa de localização

APAE Salvador
5 (100%) 1 voto