Ponte Salvador Itaparica

Não importa o lugar, a forma, a estrutura ou a distância. Uma ponte sempre é vista como um marco, uma construção que traz novas perspectivas de desenvolvimento, aproxima pessoas e integra mundos antes afastados.

Promover essa integração entre regiões é uma possibilidade real no Estado da Bahia. Separadas por 12km sobre o mar, a capital Salvador e a Ilha de Itaparica estão mais isoladas entre si do que a distância aparente indica.

Ponte Salvador Itaparica

A construção de uma ponte ligando esses dois pontos aproxima não apenas a capital à ilha, mas abre novas possibilidades para diversas regiões do estado, como o sul do Recôncavo, Baixo Sul, Oeste da Bahia, além de todo o litoral sul e Região Metropolitana.

Cogitada desde a década de 1960 para fazer a conexão entre ilha e continente, a Ponte Salvador – Ilha de Itaparica foi, por muitas vezes, pauta de discussão, mas nenhuma iniciativa foi colocada em prática. Faltava, até agora, o compromisso de executar um projeto complexo, de grande porte e que beneficiará significativamente diversas regiões do Estado.

Ao colocar a Ponte como prioridade, sem desconhecer seus impactos no desenvolvimento urbano, social e econômico, além da preocupação com o meio ambiente, o Governo do Estado deu o primeiro passo para concretizar o sonho de tantos baianos.

Em 2010, o Governo anunciou um PMI – Processo de Manifestação de Interesse para que empresas interessadas realizassem estudos de viabilidade técnica, ambiental, econômico-financeira e jurídica, a fim de estruturar um anteprojeto de construção e concessão da Ponte Salvador–Ilha de Itaparica e todo o sistema viário acessório.

Os interessados entregaram os estudos preliminares em 2011, dando início à fase de avaliação por parte de uma equipe técnica do Governo, formada por especialistas de diversas Secretarias.

O ano seguinte foi dedicado à análise e aprofundamento destes dados, assim como definição de como conduzir os próximos passos. A partir daí, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Planejamento – Seplan, contratou uma consultoria de gestão com vasta experiência em grandes projetos de infraestrutura e desenvolvimento urbano em diversas cidades no mundo, para auxiliar o Governo na estruturação do projeto.

As atribuições da consultoria contratada englobam: realização da modelagem econômico-financeira da concessão, criação de plano de desenvolvimento regional, coordenação integrada dos estudos técnicos, estruturação da gestão do projeto e elaboração da governança para implementação. Tudo isso objetivando otimização dos investimentos de recurso público e do benefício para a sociedade, sempre sob a coordenação do Poder Executivo.

Com a finalidade de articular, desenvolver e executar ações para implantação do Projeto, o Governo do Estado instituiu um Comitê Executivo e um Grupo de Trabalho Executivo ainda no início de 2013. O Comitê Executivo criado é formado pelo seu coordenador, o Secretário de Planejamento, e também pelos Secretários da Casa Civil, Fazenda, Infraestrutura, Desenvolvimento Urbano e também o presidente da Agência de Fomento do Estado da Bahia (DESENBAHIA). Já o Grupo de Trabalho Executivo (GTE) é formado por um representante das Secretarias do Planejamento, Casa Civil, Fazenda, Infraestrutura, Desenvolvimento Urbano e também um representante da DESENBAHIA.

Diversos estudos já foram licitados, e atualmente o estudo de impacto ambiental e as sondagens do fundo da Baía de Todos os Santos já se encontram em andamento. Estão previstos ainda estudos de engenharia/projeto básico, hidráulica marítima, estudo de impactos culturais e imateriais e ainda estudos urbanísticos para a Ilha de Itaparica.

Uma vez lançado o edital e assinado o contrato, as obras devem ser concluídas no prazo entre 48 e 60 meses.

Ponte Salvador Itaparica Últimas Noticias

Ponte Salvador-Itaparica: chinesas se unem para disputar obra de R$ 5,3 bi.

Consulta pública sobre projeto foi prorrogada para março.

As gigantes chinesas da infraestrutura China Communications Construction Company (CCCC) e China Railway 20 Bureau Group (CR20) estudam entrar juntas na concorrência para construção e operação da ponte Salvador-Itaparica, num projeto de parceria público-privada com o Governo da Bahia orçado em R$ 5,3 bilhões.

Segundo o jornal Valor Econômico, o conglomerado CCCC e a construtora CR20 devem ser os únicos representantes da China a fazer proposta para fazer a obra, num traçado de 12,4 km, mas que também inclui acessos viários em Salvador, com extensão de 4,60 km; nova rodovia expressa a ser construída em Vera Cruz e Itaparica, na Ilha, com 21,41 km; e recuperação e ampliação de trecho da rodovia BA-001.

Na sexta-feira dia 22/03 terminará a consulta pública aberta em dezembro para os interessados apresentarem contribuições que devem servir de subsídio para a confecção dos documentos finais do leilão, como o edital da concorrência e o contrato. No entanto, a Secretaria estadual da Infraestrutura informou ao CORREIO que esse prazo foi prorrogado para 29 de março, aniversário de Salvador. No dia 21 de março, haverá uma audiência pública para discutir o assunto.

O Valor lembra ainda que o projeto bilionário é discutido desde 1960, e começou a ser projetado em 2010. A licitação deve, finalmente, sair este ano.

Ainda de acordo com a publicação, diversas companhias chinesas estavam interessadas no negócio, mas há uma articulação com representantes do governo da China para que não haja competição entre empresas do país.

A CCCC já tem negócio no Brasil: ela comprou a companhia de engenharia Concremat e é controladora de um porto privado multicargas em construção em São Luís (MA). Já a CR20 é uma das maiores construtoras de pontes, rodovias, ferrovias e túneis do mundo.

A PPP para construção e operação da Ponte Salvador-Itaparica prevê, inicialmente, aporte de R$ 1,2 bilhão Governo da Bahia em duas partes: R$ 660 milhões, no quarto ano da construção, e R$ 540 milhões, no quinto ano.

Conforme o Valor, houve pedido de empresas para prorrogar a consulta pública, o que deverá ser definido até a próxima quinta (21).

“Não são 30 dias a mais ou 30 dias a menos que vão gerar problema. Estamos nesse projeto desde 2010”, disse ao Valor o vice-governador da Bahia, João Leão (PP), que atuou como secretário de Infraestrutura do governo de agosto de 2009 a março de 2010 na gestão de Jaques Wagner (PT), quando o projeto começou a ser idealizado.

“O principal objetivo da ponte é ligar 250 municípios baianos, que vão ficar mais perto de Salvador no mínimo em 100 quilômetros”, complementou.

Segundo o Valor, a estimativa é que o edital seja publicado no meio do ano e o leilão ocorra no segundo semestre.
Quem vencer o certame terá o direito de explorar a ponte durante 35 anos.

Para fins de qualificação técnica, os concorrentes terão de comprovar experiência em construção de ponte com extensão mínima de 3,6 km, largura mínima de 15 metros, vão estaiado de ao menos 135 metros de comprimento livre entre os apoios e altura mínima livre de 40 metros entre a estrutura da ponte no meio do vão central e a lâmina d’água.

Audiência pública
O projeto de PPP para construção e operação da ponte entre Salvador e Vera Cruz será debatido durante audiência pública no dia 21 de março, às 14h30, no auditório da Seinfra, no CAB.

A pasta lembra que a implantação da ponte será um elo integrador entre a capital, a Ilha de Itaparica e as regiões do Baixo Sul, Recôncavo e Oeste.

“Além da ponte, a PPP prevê a inclusão dos acessos a ela em Salvador e Vera Cruz, e a construção de um novo trecho de 9,3 quilômetros na BA-001, que vão compor o contorno da zona urbana de Vera Cruz. Também faz parte do projeto o trecho da BA-001 entre a interseção do novo contorno e a Ponte do Funil, que deverá ser duplicada, mantida e operada pela concessionária que vencer a futura licitação”, detalha comunicado, divulgado pela Seinfra.

Participação da população
Ainda de acordo com o governo, as contribuições da população sobre a construção e operação da ponte continuam sendo recebidas até as 18h do dia 29 de março. As sugestões devem ser encaminhadas para o e-mail pontesalvadoritaparica@infra.ba.gov.br ou serem entregues presencialmente na sede da pasta.

“O objetivo da consulta pública é recolher informações que subsidiarão a elaboração final do edital, minuta do contrato e demais documentos sobre o tema”, reforça a assessoria.

Ponte Salvador Itaparica Chineses

As empresas chinesas envolvidas no projeto de construção da ponte Salvador-Itaparica estão instaladas na Bahia para participar do processo de licitação.

Ponte Salvador Itaparica Edital

Foi publicado no Diário Oficial da Bahia , o edital de licitação do projeto básico de engenharia para construção da ponte Salvador-Itaparica, acessos aos sistemas viários e reconfiguração da rodovia BA-001 no trecho situado na ilha. Este é o segundo edital em menos de 15 dias lançado pelo Governo da Bahia.

A empresa ou consórcio vencedor da licitação, que está aberta a concorrência internacional, deverá apresentar estudos intermediários e finais em até oito meses. Entre os principais produtos destacam-se: estudos de alternativas para a ponte e a rodovia dentro da ilha, anteprojeto de engenharia, relatório que subsidiará o Estudo de Impacto Ambiental (EIA), orçamento do investimento na ponte e reconfiguração da BA 001, além dos projetos básicos das alternativas selecionadas.

De acordo com o secretário do Planejamento, José Sergio Gabrielli, diversos estudos serão necessários para a elaboração do projeto básico. “Destaco as análises de traçado e tráfego para o dimensionamento da ponte e rodovias do sistema viário, o estudo de impacto do aumento de tráfego em Salvador e na ilha, além da elaboração de estudos de navegação e orçamentos em versões sintéticas e detalhadas”, afirma Gabrielli.

Com o custo dos estudos estimados em R$ 26,6 milhões, que poderão ser reduzidos durante a licitação, os principais desafios para a empresa selecionada serão os projetos da ponte móvel e vão central para permitir a passagem de plataformas e navios para portos e estaleiros. Precisará ainda, integrando os estudos urbanísticos, projetar as soluções para minimizar o impacto no tráfego de Salvador e otimizar o fluxo de veículos na Ilha de Itaparica.

Com aproximadamente 12 quilômetros, a ponte Salvador-Itaparica será a segunda maior da América Latina e ocupará a 23ª posição um ranking mundial de pontes sobre mar, rio e baía.

Quanto às modificações na BA 001, o projeto básico englobará o estudo de traçado, topografia, geometria e pavimentação, sempre tendo como foco otimizar o fluxo de veículos na ilha e minimizar os impactos urbanísticos.

A concorrência internacional será na modalidade técnica e preço, sendo que o quesito técnica corresponde a 70% do peso da avaliação. Entre os critérios a serem avaliados destacam-se a experiência comprovada da empresa e da equipe em projetos de pontes com complexidade similar, bem como o conteúdo e qualidade do plano de trabalho.

O edital e os anexos podem ser consultados no site do Departamento de Infraestrutura de Transportes da Bahia (Derba), na seção Licitações, ou através do site da Secretaria do Planejamento da Bahia. Os interessados podem adquiri-los mediante o pagamento de R$ 150 e esclarecer suas dúvidas pelo e-mail cel@derba.ba.gov.br.

Ponte Salvador Itaparica Projeto

A ponte Salvador-Itaparica é parte de um projeto indutor de desenvolvimento econômico e social, que é o Sistema Viário Oeste (SVO), cujo objetivo é criar um novo dinamismo no recôncavo baiano e no eixo litorâneo sul, permitindo também o surgimento de um novo polo industrial e logístico na Região Metropolitana de Salvador (RMS), ancorado por investimentos já em curso (estaleiros em São Roque do Paraguaçu) ou projetados (nova retroárea do porto de Salvador).

Outras informações e site

Ponte Salvador Itaparica
5 (100%) 1 voto





Deixe seu comentário